Museu Vivo NAMI

Circuito de Murais pelo Fim da Violência Contra a Mulher

O Museu Vivo NAMI é um circuito de 1km de murais, localizado na comunidade Tavares Bastos, local onde fica a sede da NAMI. O museu a céu aberto possui uma proposta decolonial da arte, subvertendo, reconstruindo e dando origem a outras formas de poder e conhecimento, fomentando principalmente a produção artística de grupos à margem da cena tradicional da arte e a promoção dos direitos humanos. Proporcionamos visitas mediadas, processos de curadoria participativa e co-criação em um museu vivo, que evolui com o seu público e mantém um acervo de pinturas em suportes convencionais. 

As pinturas no Museu vem acontecendo desde 2013, quando a organização instalou seu escritório na comunidade e até o presente momento já recebemos murais de mais de cem artistas do Rio de Janeiro, Brasil e exterior. Localizada no bairro do Catete, a comunidade de Tavares Bastos possui 8.000 moradores e é conhecida por não ter tráfico de drogas ou ação miliciana, tornando-se palco de gravações de filmes, séries, novelas e videoclipes nacionais e internacionais, fator que traz mais visibilidade às obras produzidas em nosso Museu.

Além do Museu à céu aberto, a NAMI mantém em seu escritório uma coleção com mais de 200 obras de artistas, com foco em artistas mulheres, negros, LGBTQIAP+, com deficiência,  indígenas ou apoiadores da NAMI.

O Museu é aberto à produção de todos artistas, independente de gênero, classe e etnia.
Porém, para participar, o artista deve:
  1. Não ter passagem pela Lei Maria da Penha ou histórico de comportamentos racistas, machistas, capacitistas, LGBTQIAP+fóbicos ou qualquer tipo de comportamento preconceituoso. 
  2. Possuir pesquisa artística ou se identificar com o pensamento decolonial.
  3. Ter um bom relacionamento com a NAMI.

Artistas interessados, devem enviar uma e-mail para [email protected] com seus dados de contato, minibiografia, link para portfólio e croqui do mural a ser desenvolvido.

Os artistas interessados em doar obras para o nosso acervo deverão: 

  1. Oferecer gratuitamente trabalho original, de própria autoria;
  2. Garantir que o material cedido esteja em bom estado de conservação;
  3. Assegurar, exceto exceções, que a obra cedida tenha tamanho máximo de 100 x 80 cm;
  4. Enviar um e-mail para [email protected] com o assunto “Doação de obra para o Acervo NAMI”, com: 

    – Minibiografia da artista e seus links de sites e redes sociais;

    – Ficha técnica completa da obra (nome da artista, nome da obra, técnica, ano em e tamanho (altura e largura em centímetros).

    – Anexar uma foto da obra que deseja doar, incluindo frente, verso e laterais.

    – Parágrafo sobre a obra e seu objeto de pesquisa.

Após o recebimento do e-mail, a NAMI irá verificar se poderá receber a obra em sua coleção. Destacamos que a NAMI não aceitará obras que:

  1. Contenham imagens que estimulem comportamentos e discursos contra os direitos humanos. 
  2. Sejam de autoria de artistas ou crews que tenham passagens na Lei Maria da Penha, histórico de comportamentos racistas, machistas, capacitistas, LGBTQIAP+fóbicos ou qualquer tipo de comportamento preconceituoso. 
  3. Sejam de autoria de artistas que tenham conflito de interesse com a NAMI.