CONTATO >

T: (21) 2285.4299

F: (21) 99831.0939

E: taligado@redenami.com

Assine nossa newsletter e fique por dentro!

© 2018 por Rede NAMI.

Rua Tavares Bastos, 283, casa 2, Catete, Rio de Janeiro.

"A NAMI é uma rede de mulheres

que usa as artes urbanas

para promover

os nossos direitos"

#AfroGrafiteiras 2018: Turmas Iniciantes - Módulo I

July 31, 2018

No dia 14 de abril de 2018, demos início às turmas do #AfroGrafiteiras 2018, as básicas #TavaresBastos e #PérolaNegra, e a avançada #MuseuDaRepública.

 

As turmas básicas, antes de iniciar o módulo, tiveram uma breve introdução ao material comumente utilizado no graffiti, como a lata de spray, os rolinhos e pincéis e a tinta PVA. Além disso aprenderam a diferença entre Tag (identificação do artista urbano, “apelido”), Throw Up (estilo simples de letra, geralmente em duas cores ou sem fundo) e Bomb (mesmo estilo de letra do Throw Up, mas com mais detalhes e colorido) no graffiti. Nesta primeira oficina, as participantes também são incentivadas a criar suas tags e throw ups com lápis e canetas hidrográficas.

 

Na segunda, uma oficina prática, as meninas puderam manusear as latas de spray pela primeira vez e testar os traços e efeitos possíveis com o cap universal (cap médio, que já vem nas latas) e o fat cap (capaz de criar traços mais largos) e aplicar esses efeitos na criação de suas tags no muro.

 

Na terceira oficina, do dia 28 de abril, as participantes voltam para as salas para aprender a fazer o degradê e estudar volume. O degradê é um efeito muito utilizado no graffiti tanto para letras quanto para personagens para fazer transições suaves de tons ou de cores e até mesmo dar profundidade à arte. Na oficina seguinte, as meninas puderam testar esta técnica no muro, com sprays preto e branco para o degradê de dois tons; e preto, cinza escuro e cinza claro para o degradê de três tons. Nesse mesmo encontro, elas testaram o efeito de profundidade utilizando uma esfera onde o local de incidência máxima de luz era branca e o ponto de sombra mais escura era o preto.

 

 

No dia 12 de maio, demos início ao módulo de História do Feminismo, a partir de uma palestra com Carolina Rocha, historiadora e escritora. A palestrante contextualizou no tempo as três ondas do feminismo e o papel das mulheres negras em cada um desses momentos. Contou um pouco da história da luta antirracista e antissexista no Brasil e as participantes puderam falar também sobre temas discutidos atualmente, como estética negra, a autoestima e o colorismo, foi um momento de identificação e troca extrema.

 

Na oficina seguinte, as meninas iniciam a jornada com stencils, neste encontro elas aprendem a traçar e cortar o stencil, que pode ser feito tanto em papel mais consistente, como papelão, papel cartão ou acetato. Na semana subsequente, os stencils foram para o muro e o resultado foi lindo:

 

 

Please reload

Please reload

Please reload

Please reload