CONTATO >

T: (21) 2285.4299

F: (21) 99831.0939

E: taligado@redenami.com

Assine nossa newsletter e fique por dentro!

© 2018 por Rede NAMI.

Rua Tavares Bastos, 283, casa 2, Catete, Rio de Janeiro.

"A NAMI é uma rede de mulheres

que usa as artes urbanas

para promover

os nossos direitos"

#MuseuNAMI 2017: Conheça os artistas e murais pintados em 2017

August 2, 2018

2017 foi um ano cheio para arte no #MuseuNAMI. O projeto recebeu 15 novos murais feitos por grafiteiras parceiras da Rede e por convidados de todo o país. Mais de 40 artistas da cena de arte urbana estiveram envolvidos. Saiba mais:

 

1. Mural final #AfroGrafiteiras #PedraDoSal

Artistas: Aith, B37, Biela, Cinna, Dilei, Jess, Lua, Mar, Mosk, PN, Soy, Zion

Liderada pela #AfroGrafiteira Cinna em 2016, a turma #PedraDoSal desenvolveu um trabalho lindo que culminou no mural coletivo de encerramento da turma no #MuseuNAMI.

 

2. Mural #AfroGrafiteiras

Artistas: J.Lo Borges, Nallemy e Rooxo

Mural feito pelas membras da #EquipeNAMI nos anos de 2016 e 2017.

 

3. Mural Plant

O artista Plant realizou, em outubro de 2017, o segundo graffiti de sua autoria no Museu NAMI de Arte Urbana. Seu mural faz uma mistura com as cores através da mistura entre letra e personagem.

 

4. Mural Cove

O artista Cove tem foco em graffiti de letras, desde que iniciou sua trajetória artística, em 2013. Seu trabalho no museu foi pensado na hora, sem um desenho prévio, quando lhe foi entregue o material, foi até o muro ver o que se encaixava melhor com o espaço e a paleta de cores.

 

5. Mural Blopa

Blopa iniciou sua trajetória muito jovem como pixador, e aos 15 anos personalizou sua tag (assinatura do artista) em letras em estilo wildstyle (um dos mais complexos estilos de letra) e começou a grafitar.

 

6. Mural Fael Tujaviu

A principal marca  de Fael são suas letras e o fruto da favela – uma árvore com a favela no topo. O artista busca mostrar em seus trabalhos suas raízes, de onde veio e como é se reconhecer vindo da favela.

 

7. Mural Onesto

Onesto é identificável pelas letras e personagens com características marcantes, desenvolvidas durante os muitos anos de prática. Seus trabalhos costumam ser pensados na hora, sem desenho prévio, como o mural realizado no Museu que trata sobre a fé, que muitas pessoas buscam, mas que às vezes se mostra corrompida.

 

8. Mural 400ML

Artistas: Fanac, Fil, Solo e Ops

Os artistas trabalham em estilos diferentes, enquanto Ops e Solo grafitam personagens, Fil trabalha com letras em WildStyle (uma das técnicas mais complexas de letra), e Fanac flutua entre os dois estilos.

 

9. Mural Pato

Wallace Pato, conhecido na cena como Pato é um artista plástico que atua pelas ruas da zona norte do Rio de Janeiro retratando pessoas nordestinas. Usando majoritariamente tinta látex e pigmento, e não spray como é mais comum entre os artistas urbanos, Pato captura momentos espontâneos na vida dessas pessoas e expõe nos muros da cidade buscando valorizar o povo nordestino e sua cultura.

 

10. Mural Amandix

Suas criações, tais quais suas personagens e frases colocadas em seus graffitis são bem impactantes, dando vida aos muros a partir das cores escolhidas e utilizadas pela artista.

 

11. PPKrew + Dalai

Artistas: Lolly, Cinna, Lettuce e Dalai

Grupo composto inteiramente por mulheres, atuando pelas zona norte, oeste e baixada do Rio de Janeiro, o grupo tem a missão de ocupar as ruas com graffiti representativo. Vem acompanhadas do grafiteiro Dalai.

 

12. Mural Ploom + Lid

Para Lid, com seu traço hachurado e Ploom, com suas letras em wild style o mural criado representa o dia a dia das pessoas presas na cidade e a falta de tempo para se apreciar a vida.

 

13. Mural Injah

Injah trabalha uma outra forma de ver a mulher e o mundo. Buscando a libertação de corpos, prisões sociais e do puro materialismo e racionalismo para uma visão mais holística e energética do mundo.

 

14. Mural Kali

O mural da artista no Museu NAMI fala sobre autorreflexão; sobre mergulhar dentro de si mesma em busca de autoconhecimento e de sua real essência.

 

15. Mural TrapaCrew

O mural realizado no Museu contou com a participação de oito grafiteiros da crew e busca mostrar diversidade se utilizando de elementos naturais, animados e letras, tudo com muita cor e formas arredondadas, “uma ode à diversidade no graffiti e na vida”, diz um dos integrantes.

 

 

Please reload

Please reload

Please reload

Please reload