#FundoNAMI 2018: Grafitagem na E.M. Tarsila do Amaral


No dia 5 de agosto, a parceira da Rede NAMI Nahyá recebeu apoio para, junto com as #AfroGrafiteiras Didi, Jih, Cah, Drirô, Day, Fulô, Guid, Beyaz, Mar, Natf, Bôdhí, Afrodite e Iroko, realizar uma ação na Escola Municipal Tarsila do Amaral, no bairro de Irajá, zona norte do Rio.

“Desde a convocação das meninas, do desenvolvimento das ideias das obras, das cores, foi algo esplêndido. Uma organização horizontal feita por mulheres dando voz a todas e fortalecendo no processo. Compartilhar arte com elas, ouvir os depoimentos de transeuntes, crianças ao redor só deu mais fôlego para que déssemos o nosso melhor na criação”, conta Nahyá sobre a grafitagem.

O foco foi resignificar as obras de Tarsila do Amaral para a perspectiva das artistas presentes, mulheres negras e periféricas. Os alunos, funcionários e a comunidade auxiliaram a atividade e incentivaram as meninas a continuar realizando pinturas:

“Os alunos estão maravilhados com a escola grafitada. A sensação de pertencimento de nós, funcionários da escola, e dos alunos aumentou.

Há 7 anos trabalho na Tarsila do Amaral, e realmente temos hoje um novo espírito de trabalho por conta da arte que vocês deixaram no muro. Esse trabalho vivificou a escola.

O trabalho nos inspira, sobretudo por serem mulheres re-apresentando obras de outra mulher, expressando o que é ser mulher brasileira atualmente. Não tenha dúvidas de que essa história de vocês (...) será transmitida aos alunos. A luta é de todos nós, mas vcs são as protagonistas dela!”, diz o coordenador pedagógico da escola, Rodrigo.

Veja o resultado: