CONTATO >

T: (21) 2285.4299

F: (21) 99831.0939

E: taligado@redenami.com

Assine nossa newsletter e fique por dentro!

© 2018 por Rede NAMI.

Rua Tavares Bastos, 283, casa 2, Catete, Rio de Janeiro.

"A NAMI é uma rede de mulheres

que usa as artes urbanas

para promover

os nossos direitos"

Texto de Curadoria de Raoni Azevedo sobre as Pinturas de Pamella Magno e Edu de Barros no #MuseuNAMI

January 26, 2019

 

Pamella Magno é uma artista multidisciplinar. Sua obra toca assuntos como ancestralidade, psicanálise, espiritualismo, múltiplas dimensões e representa suas inquietações. Entende a arte contemporânea como ferramenta potente e libertadora no processo de autoconhecimento do ser humano.



 

Sua prática é marcada por um grau anárquico de liberdade e o uso de materiais e objetos inusitados e aleatórios, ambos aspectos notáveis em “Plants Can Read Your Mind”. Aluna da Rede Nami, Pã também se utiliza da própria criação dessa obra como ato de resistência, expondo reflexões e superando suas inseguranças no processo.

 





 

 

 

 

 

 

 

 

 

Edu de Barros realiza há pouco mais de um ano rituais diários de pintura, estabelecendo uma ponte entre a matéria e o sublime, e partindo de simbolismos bíblicos e esotéricos, conteúdo viral da internet e registros cotidianos urbanos de lugares onde circula.



 

Em sua obra “AndrógIno XVIII” utilizou técnicas e qualidades da pintura contemporânea, remanescentes da sua prática diária, para que agisse como um vírus, causando um estranhamento dos passantes através da clara dissociação estilística com a textura estética do graffiti, já muito abundante e bem aceita na Tavares Bastos.



 

Muito pouco ou quase nada une as práticas de Eduardo de Barros e Pamella Magno exceto o fato de serem ambos membros ativos d’ANoiva, A Igreja do Reino da Arte, crendo no processo artístico como caminho para o autoconhecimento, a Iluminação e o encontro com o Divino.



 

AleluiAmén, ANoiva!

 

 

 

 

Sobre o curador:

 

 

Nascido em uma cidade pequena, Raoni Azevedo, 29 anos, é um artista transdisciplinar que vive e trabalha na Rocinha e é pastor na Igreja do Reino da Arte, onde suas obras são apenas orações no caminho da auto-divinação. Interessado em antropologia, sociologia, e prática crítica e especulativa, seu trabalho se origina num desejo de participar do diálogo da arte contemporânea, por meio de experimentação material rápida e discursiva.

 

Leia também:

 

* Pamella Magno e sua Obra "Plants Can Read Your Mind"

* Edu de Barros e sua Obra "Andrógino XVII"

* Oportunidade: Edital para o I Retiro da #IgrejaDoReinodaArte

 

 

 

Please reload

Please reload

Please reload

Please reload